25/11/2021

A participação do Coren-RJ na vitória no Senado

Foi um  24 de novembro histórico, quando a enfermagem foi

Foi um  24 de novembro histórico, quando a enfermagem foi reconhecida unanimemente por todo o Senado, que aprovou os valores do piso salarial nacional para a toda a categoria. Mas, os esforços do Coren-RJ, ao lado de todos os regionais, capitaneados pelo Cofen, vem de anos. Há décadas, antes mesmo  de 2000, quando foi proposto o PL das 30h, o Sistema já vinha atuando politicamente por esses pleitos. A presidente Lilian Behring e todo o Plenário do Coren-RJ vêm atuando firme e diuturnamente pelos pleitos da categoria, seja frequentando gabinetes e Comissões no Legislativo,  ou em reuniões com executivos estaduais e municipais, e participando de manifestações, indo às ruas para engrossar o coro da classe em suas demandas, buscando a atenção da sociedade pela sua valorização. “Precisou acontecer de uma pandemia de alta letalidade para que o valor da enfermagem fosse enxergado pela sociedade. Desde sempre, salvamos vidas e estamos ao lado da cabeceira do paciente 24 horas por dia, pois não se promove a saúde humana sem a assistência da enfermagem. Cuidamos do ser humano desde o seu nascimento. Morremos às centenas trabalhando nesta pandemia. Ficamos doentes de exaustão, tivemos nossa saúde mental prejudicada. Portanto, comemoramos sim. A primeira grande batalha foi vencida. Teremos garra e usaremos da estratégia certeira para ganhar todas as etapas pelo Piso Nacional da Enfermagem. Acreditamos que a justiça será feita e o reconhecimento aos valorosos profissionais, enfim, se tornará realidade”, confia a presidente do Coren-RJ, que sugere a toda a categoria que cobre dos deputados que elegeram a aprovação do piso nacional.

Coren-RJ em ação no Senado

Naquela quarta-feira (24), durante todo o dia, antes do momento da votação, a presidente Lilian Behring, acompanhada dos conselheiros Glacy Kelly Bissagio, Cristiane Bernardo, Leilton Coelho, Paulo Afonso Souza e Paulo Fichter percorreram as lideranças dos partidos no Senado, interagiram diretamente com os senadores, como documentam fotos e vídeos mostrando as atividades do grupo. “O maior obstáculo que nos surgiu às vésperas da votação foi a emenda proposta pelo senador Carlos Portinho (PL), eleito pelo Rio de Janeiro. Nós, do Coren-RJ, não titubeamos e solicitamos uma reunião com o senador, na intenção de sensibilizá-lo para retirar a emenda que diminuía o valor do piso. Não só conquistamos seu voto favorável, como ainda recebemos a promessa do parlamentar de atuar junto à sua bancada na Câmara Federal, no sentido de que aprove o Projeto de Lei. Vencemos esta batalha de forma aguerrida, mas com diálogo, equilíbrio e responsabilidade!”, relatou o conselheiro enfermeiro Paulo Fichter, que é vereador pelo município de Itatiaia

A participação da deputada Enfermeira Rejane (PCdoB RJ) foi de extrema importância nas negociações com os senadores desde o início. Militante de reconhecida atuação pelas causas da Saúde, especialmente da enfermagem, a Enfermeira Rejane lembrou o quanto a categoria vem batalhando por salários dignos e jornadas de trabalho humanizadas. “Essa é uma luta histórica, de mais de 30 anos, e uma bandeira que trago comigo desde antes de entrar no parlamento. Os valores estão distantes dos que os trabalhadores da Enfermagem merecem, mas foi o possível hoje, diante da pressão dos empresários e gestores públicos da saúde. É também uma oportunidade de avançarmos nessa luta e precisamos estar juntos. Volto a afirmar que se a categoria tivesse representação na Câmara e no Senado federal, a luta seria menos demorada e dolorosa.”

A luta continua! Agora, é hora de lembrar que teremos eleições em 2022 e que a enfermagem, até lá, já deverá somar 3 milhões de profissionais. Que votam… Uma nação!

Confira as fotos e o vídeo.

 




  • BannerLateral_codigo_etica
  • e-dimensionamento-207x117