22/10/2019

Coren-RJ na Roda de Conversa Outubro Rosa e Dia do Idoso da ABMCJ RJ

A Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ RJ),
A Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ RJ), realizou na sede da OAB RJ, na última sexta-feira (18), uma Roda de Conversa para debater sobre a campanha Outubro Rosa e pelo Dia do Idoso. A diretora do Coren-RJ, Eliane Soares, que representou o Conselho, foi recebida pela presidente a ABMCJ RJ, Alessandra Santos, presidente da Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ RJ).
 
Na sua explanação, a conselheira Eliane ressaltou a grande importância da campanha Outubro Rosa, uma vez que está provado que nesta época do ano aumentam o número de exames preventivos, especialmente a mamografia. Porém, lamentou a dificuldade da população para ter acesso ao exame gratuito pelo SUS, o que acaba por diminuir a eficácia e resolutividade da campanha.
Eliane Soares trouxe à luz uma solução simples que vem ajudando muito a mulher mastectomizada a recuperar a autoestima: a dermopigmentação, que recompõe como uma tatuagem a aréola e o mamilo. A conselheira do Coren-RJ emprega esta técnica sem cobrar, ao lado de outras voluntárias, para aquelas que não têm recursos para pagar o procedimento.
“Precisamos de mais profissionais dispostos a aprender e realizar a técnica da dermopigmentação da aréola como voluntariado. É uma questão de empatia, de solidariedade para com essas mulheres que se sentem mutiladas, mas que ganham vida, voltam a se sentir femininas, após o redesenho realístico do mamilo e da aréola”, afirma a diretora do Coren-RJ, que tocou ainda em outra experiência dramática vivida pela mulher em tratamento do câncer: os muitos relatos de abandono dos maridos, após a confirmação da doença.
Eliane Soares, lembrou que o Coren-RJ vem realizando eventos pelo Outubro Rosa, e que participará da “Feira Rosa – Saúde da Mulher”, no dia 31/10, na Praça XV.
 
Sobre o Dia do Idoso, Eliane Soares alertou para a necessidade de se intensificar a criação de campanhas educativas exclusivas para sensibilizar este grupo de maior risco de contrair a doença. “A mulher madura precisa tocar seu corpo para a detecção precoce da doença. É importante, especialmente, fazer do autoexame uma rotina, e ter acesso facilitado para realizar a mamografia, além de manter uma alimentação e praticar exercícios, para viver bem, com qualidade de vida”, finalizou.
A Roda de Conversa também trouxe sugestões como a realização de palestras educativas em escolas para crianças, tendo como conteúdo a cidadania, os deveres e direitos, como o respeito às diferenças, cuidado com os idosos, mulheres, deficientes e com a população em situação de fragilidade social. Também foi colocada é pauta a necessidade de criação de Delegacias do Idoso, para proteger essa população que vem sofrendo com agressões, maus-tratos e abandono.
 



  • BannerLateral_codigo_etica
  • e-dimensionamento-207x117