26/01/2016

Enfermeira que aplicava Metacrill em suas pacientes tem seu registro cassado

De acordo com o vice-presidente do Coren-RJ, Thiago França, esta decisão foi importantíssima para a imagem da categoria, perante a sociedade

A enfermeira Fernanda Ouverney Valente teve seu registro cassado por dez anos após julgamento ético que ocorreu durante a assembleia de presidentes do Sistema Cofen/Conselhos Regionais no final de novembro de 2015, em Brasília. A ré foi denunciada ao Coren-RJ em 2012, após aplicar a medicação conhecida como “Metacrill” – produto que é usado em implantes corporais – na região glútea de duas mulheres e infringir diversos artigos do Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem.

De acordo com o vice-presidente do Coren-RJ, Thiago França, esta decisão foi importantíssima para a imagem da categoria, perante a sociedade.

“Este caso trouxe grandes prejuízos para a enfermagem, pois todo o respeito, valorização e credibilidade que os profissionais construíram durante anos, passou a ser questionado pela sociedade” – explicou França.

Esta decisão não cabe mais recurso, uma vez que os prazos para estes pedidos se esgotaram.

Relembre o Caso

Em 2012, Fernanda havia sido presa na 64ª DP (São João de Meriti), acusada de aplicar o medicamento Metacrill ilegalmente. Ela realizava o procedimento cobrando o valor de R$ 1.800,00, atendendo nas casas da pacientes e em sua própria residência, na Baixada Fluminense.

Policiais apreenderam na casa da enfermeira seringas com o Metacrill, notas fiscais do medicamento em nome de um médico conhecido na local, materiais cirúrgicos e cerca de R$ 5 mil em cheques.




  • BannerLateral_codigo_etica
  • e-dimensionamento-207x117
  • add_5
  • parecer_CT2