21/05/2019

Gerações da categoria no Encontro de Auxiliares e Técnicos de Enfermagem do Coren-RJ

As festividades pelo Dia do Auxiliar e Técnico de Enfermagem

As festividades pelo Dia do Auxiliar e Técnico de Enfermagem começaram cedo nesta segunda-feira, 20 de maio. No auditório ocupado por 170, profissionais e alunos da enfermagem se confraternizaram em evento, no Centro de Estudos e Capacitação da Enfermagem Fluminense – CECENF. O dia foi pautado pelas orientações e dicas, generosamente ensinadas pelas veteranas às novas gerações de profissionais e aos futuros técnicos de enfermagem.

Promovido pelo Coren-RJ e coordenado pela diretora Eliane Soares de Araújo (que atuou também como mestre de cerimônias), com o apoio da enfermeira Lilian Behring, coordenadora do Capacita Coren-RJ, o Encontro reuniu ícones da profissão, como as conselheiras e técnicas de enfermagem Maria Lúcia Tanajura Machado e Mônica Belarmino, além de militantes pela valorização da categoria como a deputada Enfermeira Rejane, Maria José Peixoto (a Zezé) e Mônica Cunharski (Movimento de Ativistas da Enfermagem – MAE-RJ).

O Encontro de Auxiliares e Técnicos de Enfermagem do Coren-RJ foi realizado em duas sessões. Pela manhã, palestraram a deputada Enfermeira Rejane, a diretora do Coren-RJ Maria Lúcia Tanajura Machado, Maria José Peixoto e Mônica Cunharski, que compunham a Mesa de Abertura. Também pela manhã, os representantes da Enfermagem no Conselho Municipal de Saúde de Duque de Caxias, os técnicos de enfermagem Antônio Pereira dos Santos e Pedro Davi de Oliveira Silva, falaram sobre suas experiências na entidade ao público.

À tarde, a presidente do Coren-RJ, Ana Lúcia Telles Fonseca, assumiu a mesa, e recebeu além das citadas, a conselheira e técnica de enfermagem do Hospital Universitário Pedro Ernesto – HUPE, Mônica Belarmino, e a colaboradora do Coren-RJ, enfermeira Glória Maria Carvalho. Um momento feliz foi a homenagem a um jovem profissional, o técnico Everton da Silva Costa. Graças ao seu desvelo na assistência a uma paciente, Everton muito influiu para que uma autoridade do judiciário atentasse para a importância da trabalho da categoria na promoção da saúde de quem se encontra sob seus cuidados. Zezé Peixoto falou diretamente aos estudantes sobre sua trajetória nas lutas pela enfermagem, pelas entidades por onde atuou e, demonstrando a mesma garra de sempre, convidou os jovens à união pela militância.

Em seguida foi a vez da conselheira e técnica de enfermagem do HUPE, Mônica Belarmino, partilhar suas experiências numa carreira bem-sucedida. Mônica frisou a importância de exercer a profissão com vocação humanística, e sempre fazer o melhor por quem está sob seus cuidados. “Digam sempre para si próprios: eu vou ser o melhor técnico de enfermagem a que me propus ser e você será o melhor profissional que uma instituição terá”, ensinou a veterana. Mônica Belarmino ainda lembrou a importância das lutas e que estas devem ser empreendidas jamais de forma egoísta, mas pensando em prol de toda a categoria: “Somos importantes! Frequente e fale nas assembleias, ganhe as ruas! Afinal, somos 179 mil técnicos no estado do Rio de um total de 273 mil profissionais da enfermagem. Somos a maioria e precisamos sair da comodidade para enfrentar conseguir vitórias”, encerrou.

A diretora Eliana Soares de Araújo elogiou a colega conselheira, afirmando que a conhece e aplaude a trajetória da colega, lembrando que todas as equipes adoravam fazer plantão com Mônica Belarmino: “Desde que atuava na iniciativa privada e também depois que foi para o HUPE, Mônica continua a mesma profissional, dedicada ao extremo”, afirmou.

A vice-presidente do Movimento de Ativistas da Enfermagem (MAE-RJ), Mônica Cunharski, pediu que os profissionais e jovens da plateia se espelhassem no bom exemplo das veteranas da enfermagem ali presentes, e convidou a se filiarem ao MAE-RJ – um movimento que não cobra para que se inscrevam, mas que convida à luta através da união.

A presidente do Coren-RJ convidou os presente a participarem do Encontro de Ética e Legislação que ela comandará no dia 22 de maio, lá mesmo no CECENF: “Falaremos especialmente sobre a equidade na ética: trate o seu paciente como gostaria de ser assistido, como cuidaríamos da nossa mãe, que tanto amamos. Lembrem-se que, enquanto cidadãos, também somos usuários da saúde”, finalizou Ana Lúcia Telles.

Eliane Soares de Araújo finalizou o Encontro agradecendo aos profissionais e também à participação dos estudantes dos cursos Mônaco, Cruz Vermelha Brasileira, Virgínia Patrick e Senac.




  • BannerLateral_codigo_etica
  • e-dimensionamento-207x117
  • add_5
  • parecer_CT2