14/03/2019

Presidente do Coren-RJ é homenageada na ALERJ

Na tarde de segunda-feira (11/03), o Plenário da Assembleia Legislativa

Na tarde de segunda-feira (11/03), o Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro estava mais feminino do que usualmente. Da plateia à mesa solene, mulheres aplaudiam e protagonizavam a 16ª edição do Diploma Mulher Cidadã Leolinda de Figueiredo Daltro, quando 14 mulheres foram homenageadas por conta da atuação na luta pelos direitos femininos. O Diploma é uma iniciativa da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, da ALERJ, presidida pela deputada Enfermeira Rejane. Entre as premiadas estava a presidente do Conselho Regional de Enfermagem, a enfermeira Ana Lúcia Telles Fonseca.

Presidida pela deputada Enfermeira Rejane, a mesa da cerimônia foi composta pela desembargadora Ivone Ferreira Caetano; pela subsecretária estadual de Políticas para Mulheres, Sandra Ornelas; Helena Piragibe, presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher – CEDIM/RJ e a delegada Juliana Emerique – Coordenadora da DPAM – Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher. Além de Ana Lúcia Telles, receberam este ano o Diploma Mulher Cidadã Leolinda de Figueiredo Daltro as seguintes laureadas: Edna Calheiros; Elaine Mendes; Érica Nascimento; Leny Claudino; Maria Prestes; Marilza Barbosa; Nair Jane;
Odisséia Carvalho; Regina Mota; Rosângela Silva; Rosilene Rodrigues; Selma Chagas e Sônia Klausing.

A solenidade, muito animada, teve direito a orquídeas para brindar as homenageadas, um pequeno recital com o coral Vocalizarte, e a apresentação com jovens do Projeto Luar de Dança jovens, de Duque de Caxias. Já os discursos foram pautados pelas lembranças de lutas, denúncias de redução de direitos e na defesa da mulher. Além da militância por políticas públicas para os avanços, a segurança e garantia dos direitos femininos, assuntos como violência doméstica e feminicídio, assédio moral e sexual, machismo e misoginia,saúde feminina, racismo, perda de direitos trabalhistas e a expectativa de mais reduções com a Reforma da Previdência permearam as falas.

Ícones da história de luta pelos direitos das mulheres foram lembrados, tais como Dandara, Luísa Mahin e Olga Benário, com ênfase à cobrança de justiça pela execução da vereadora Marielle Franco, assassinada há um ano.

A presidente do Coren-RJ, emocionada com a homenagem, lembrou que nasceu em uma família matriarcal, pobre e negra, e que jamais deixou de lutar pelo seu desenvolvimento pessoal e profissional, graças especialmente aos incentivos de sua mãe. Ana Lúcia Telles, defendeu ainda que a enfermagem, maior massa de trabalhadoras da saúde brasileira, conquiste cada dia mais seu espaço de relevada importância para a sociedade, e que não perca direitos arduamente conquistados. Ela finalizou sua fala exigindo pela manutenção e qualidade do Sistema Único de Saúde para o bem-estar de todas as mulheres brasileiras.

 




  • BannerLateral_codigo_etica
  • e-dimensionamento-207x117
  • add_5
  • parecer_CT2